Eu hoje tenho vinte anos, mas quando eu tinha meus onze passei por uma situação qual nunca pensei que passaria e me senti perdida diante de tudo aquilo. O esposo de uma parente minha me assediou e disse que quando eu completasse quinze anos eu seria mulher dele e tudo aquilo não fez sentido, pois durante tudo que ele falava me ameaçava e eu mesmo sendo ativa me fiz prender por aquelas palavra acreditando que passaria.
De repente depois de alguns meses notei que essa pessoa estava começando a fazer um inferno na minha vida e eu não encontrava forças o bastante para contar aos meus familiares e me prendi e me isolei, se tornando fria e calculista.
Novamente o tempo passou e fiz novamente me prender e esquecer aquelas palavras e perseguições, chegado perto dos meus quinze ele começou com uma seca em mim á qual pensei que ele havia esquecido e começaram as perseguições, me pegava na porta da escola e me ameaçava, no caminho de casa e diversas vezes isso ocorreu.
Porém, fui mas ágil pois não aceitaria que meu primeiro homem fosse o esposo da minha parente e que fosse daquela maneira, me ajeitei com um rapaz na escola e resolvi me entregar a ele, mesmo não acontecendo como eu queria que houvesse acontecido e ali mesmo se acabaram partes dos meus sonhos e apaguei dentro de mim as esperanças que eu tinha.
No outro dia completei quinze anos e assim como ele disse, ele cumpriu.
Me sinto suja até hoje, fiz apagar dentro de mim esse ocorrido mas sinto que ainda está aceso mesmo eu querendo apagar, sei que um dia essa mancha irá sumir de vez da minha vida e apagarei de vez essa situação.

Muitas das vezes nos pegamos revivendo o passado, seja ele bom ou ruim, na maioria das vezes é quase impossível se esquecer o que já passou e isso acaba nos remoendo por dentro pois de alguma forma fica aceso ou apagado dentro de nos e como fazer para acender aquilo que está apagado dentro de mim e de você?
Aquilo que nos fere, acaba tornando eu e você mais frágeis ou fortes, cabe a mim e você saber tirar bom aproveito de tudo isso.
Então acompanhe junto comigo tudo que já vive e vamos juntos aprender a acender tudo aquilo que já morreu dentro de nós.